VERA MANTERO no CC de V. FRANCA das NAVES

 

24 Outubro | 21h00 | DANÇA | CENTRO CULTURAL DE VILA FRANCA DAS NAVES

OS SERRENHOS DO CALDEIRÃO, EXERCÍCIOS EM ANTROPOLOGIA FICCIONAL
de VERA MANTERO

cartaz svmxdig


Os Serrenhos do Caldeirão – exercícios em antropologia ficcional é um trabalho elaborado por Vera Mantero a convite da DeVIR/CaPA/ Faro, no âmbito do Festival Encontros do Devir, em torno da desertificação/desumanização da Serra do Caldeirão, no Algarve. Cruzando as suas próprias recolhas vídeo com as recolhas em filme de Michel Giacometti, sobretudo aquelas feitas em torno das canções de trabalho, Vera Mantero lança um forte olhar sobre práticas de vida tradicionais e rurais em geral, conhecimentos das culturas orais de norte a sul do país e de outros continentes

"as melodias daqui são muito bonitas e todas de tendência “orientalóide”. parece que são “em eólio” (por serem assim lindas e enleadas...).
e é frequente encontrar-se um curto estribilho que reza assim: “oh, tão lindo!”. oh, tão lindo. oh. tão lindo. oh tão lindo. há gente assim, que se sabe espantar com a beleza.
podia talvez fazer uma montagem com vários “oh, tão lindo!” juntos e misturados. como a sequência de beijos na boca no fim do Cinema Paraíso".

(Transcrição de notas de Vera Mantero)

"Para mim a dança não é um dado adquirido, acredito que quanto menos o adquirir mais próxima estarei dela, uso a dança e o trabalho performativo para perceber aquilo que necessito de perceber, vejo cada vez menos sentido num performer especializado (um bailarino ou um actor ou um cantor ou um músico) e cada vez mais sentido num performer especializadamente total, vejo a vida como um fenómeno terrivelmente rico e complicado e o trabalho como uma luta contínua contra o empobrecimento do espírito, o meu e o dos outros, luta que considero essencial neste ponto da história."

Vera Mantero

eventofbvmluzlinar

Vera Mantero estudou dança clássica com Anna Mascolo e integrou o Ballet Gulbenkian entre 1984 e 1989. Tornou-se um dos nomes centrais da Nova Dança Portuguesa, tendo iniciado a sua carreira coreográfica em 1987 e mostrado o seu trabalho por toda a Europa, Argentina, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, EUA e Singapura. Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz, cantando repertório de vários autores e co-criando projectos de música experimental.
Em 1999 a Culturgest organizou uma retrospectiva do seu trabalho até à data, intitulada “Mês de Março, Mês de Vera”. Representou Portugal na 26ª Bienal de São Paulo 2004, com Comer o Coração, criado em parceria com Rui Chafes. Em 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada (IPAE/Ministério da Cultura Português) e em 2009 o Prémio Gulbenkian Arte pela sua carreira como criadora e intérprete.

Ficha artística
Concepção e interpretação Vera Mantero Desenho de luz Hugo Coelho Captura de imagens e elaboração de guião para o vídeo Vera Mantero Montagem vídeo Hugo Coelho Excertos vídeo da Filmografia Completa de Michel Giacometti Salir (Serra do Caldeirão), Cava da Manta (Coimbra), Dornelas (Coimbra), Teixoso (Covilhã), Manhouce (Viseu), Córdova de S. Pedro Paus (Viseu) e Portimão (Algarve) Excertos de textos de Antonin Artaud, Eduardo Viveiros de Castro, Jacques Prévert e Vera Mantero Residências Artísticas Centro de Experimentação Artística - Lugar Comum/Fábrica da Pólvora de Barcarena/Câmara Municipal de Oeiras e DeVIR/CaPA/Faro Co-produção DeVIR/CaPA Produção O Rumo do Fumo Agradecimento Editora Tradisom Este projecto foi uma encomenda dos Encontros do DeVIR da DeVIR/CaPA/Faro.


RESIDÊNCIA E PERFORMANCES

Projecto Pontes | 2015-2016 | Municípios do Fundão e de Trancoso

CARTA BRANCA A VERA MANTERO / PROGRAMA-PROJECTO PASSAGEM#2

Residência de longa duração dedicada ao trabalho de VERA MANTERO
2ª Parte | 5 a 29 de Outubro | Fundão e Vila Franca das Naves

5 a 15 de Outubro | RESIDÊNCIA | Agrupamento de Escolas do Fundão
15 Outubro | 11 horas | Apresentação do trabalho da residência à comunidade escolar
16 Outubro | 15horas | PERFORMANCES | Auditório do Agrupamento de Escolas do Fundão
UMA MISTERIOSA COISA, DISSE O E.E. CUMMINGS' (1996), DE VERA MANTERO
O QUE PODEMOS DIZER DO PIERRE' (2011), DE VERA MANTERO

16 a 22 Outubro | Início de processo de criação com 4 escolas:
Escola Profissional do Fundão | Agrupamento de Escolas do Fundão | Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto | Externato Capitão Santiago de Carvalho

23 Outubro | 15h00 | OFICINA | Jardim das Pedras (Feital) | Agrupamento de Escolas de Trancoso
24 Outubro | 21h00 | PERFORMANCE | CENTRO CULTURAL DE VILA FRANCA DAS NAVES
OS SERRENHOS DO CALDEIRÃO, EXERCÍCIOS EM ANTROPOLOGIA FICCIONAL DE VERA MANTERO

PONTES, créditos

Sem comentários:

Publicar um comentário