limite(s) residência de escultura

 

18 a 26 de Setembro


Residência inteiramente dedicada à emergência artística, pretende desenvolver uma actividade de índole reflexivo-prática com base nos trabalhos que estiveram a ser desenvolvidos no XII Simpósio Internacional de Arte de Feital.

Têm a orientação de João Castro Silva, escultor e professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e vai receber dez artistas emergentes.

Pretende-se reunir, numa primeira fase, um mesmo grupo de artistas consagrados e emergentes numa partilha de experiências. Para lá da visualização ”in situ” dos trabalhos decorrentes do Simpósio haverá lugar à apresentação individual de todo o processo criativo que originou as obras agora expostas.

Numa segunda fase as obras realizadas durante o Simpósio servirão como referências de estudo para o desenvolvimento de novos trabalhos de índole escultórica. Os artistas emergentes participantes desenvolverão individualmente os seus trabalhos dentro dos limites temporais e exigências matéricas previamente definidas. Para lá da criação de um ambiente introspectivo de estímulo à criação artística, esta actividade fomenta a oportunidade de um contacto efectivo entre obras e artistas de várias gerações e territórios. Pretende-se uma comunhão de saberes e experiências no sentido da procura de novas linguagens e novas formas de pensar/fazer dentro do panorama artístico português e internacional.

Durante a residência é disponibilizado um diário on-line, actualizado pelos próprios participantes.

1234

Sem comentários:

Publicar um comentário