Vai lá longe, na floresta

Vai lá longe, na floresta,
Um som de sons a passar,
Como de gnomos em festa
Que não consegue durar...

É um som vago e distinto.
Parece que entre o arvoredo
Quando seu rumor é extinto
Nasce outro som em segredo.

Ilusão ou circunstância?
Nada? Quanto atesta, e o que há
Num som, é só distância
Ou o que nunca haverá.

Fernando Pessoa (1/02/1934)


Celebração da floresta em 21 de Novembro na luzlinar

Sem comentários:

Publicar um comentário